domingo, 15 de abril de 2012

A ressurreição de Lázaro e o choro de Jesus

João 11.32-44

      Lázaro morreu. Pediram ajuda a Jesus quando ainda estava vivo, mas ele demorou em chegar. Havia Três dias que Lázaro estava sepultado.  Então, Jesus chegou com os discípulos. Maria encontra-se com Ele e ajoelha-se aos seus pés. Ela diz as mesmas palavras de sua irmã: -“Se estiveras aqui, meu irmão não teria morrido”.  A grande tristeza não permite dizer outra coisa.
       Diante deste quadro desolador, Jesus se comove e chora. Há algumas interpretações para o choro de Jesus. Alguns estudiosos dizem que foi por causa da sua simpatia. Ele identificou-se com as irmãs no momento doloroso da perda, da morte. Outros acham que ele chorou por causa da indignação ao ver os fariseus chorando com hipocrisia. Eles estavam no velório esperando Jesus para observar sua atitude. O choro deles não era sincero e provocava o Filho de Deus. Alguns ainda dizem que foi esgotamento emocional. Jesus estava realizando seu ministério em outro lugar e chegou cansado e esgotado da viagem. Veio direto ao velório e o momento de tristeza foi a gota d’água nas emoções.
       Ainda que todas as interpretações sejam incertas, um fato é muito claro: os judeus vendo a tristeza de Jesus afirmaram –“Vede quanto o amava” (v.36). Jesus é o Filho de Deus que manifesta em sua vida o amor e compaixão pelos seus. Ele chora, ele sente a dor dos seus. Ele se comove e não foi só no sepultamento de Lázaro. Também quando o leproso rogou pela cura (Mc.1.40-41), quando viu grande multidão como ovelhas sem pastor (Mc.6.30), descendo do monte da transfiguração e vendo um jovem carecendo de libertação (Mt.17.17). Ele sempre foi e será o Filho de Deus que se compadece de nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário